Brilho

Eu falo com o olhar e pra você não é difícil decifrar.
O meu desejo, meu querer.
Já não param de brilhar ao ver você.
Eles te indicam a direção
e dizem aquilo que não tenho coragem pra dizer.
Feliz por saber que você já percebeu
que todo brilho dos meus olhos
são causados por um sorriso seu.

Ane Souza
13/12/13 1:36am

Anúncios

Chuvinha da boa

– Chuvinha gostosa essa!

– Pena que ela é espessa..
Bate forte e quem estiver abaixo.
Maltrata o coração que já está amargo.

– Mas não é culpa dela
Se essas pessoas não sabe apreciá-la
E não aproveitam para tomar um banho
Que purifica toda a alma.

– Mas as pessoas também não têm culpa
É escolha não tomar banho de chuva.

– Não estou culpando ninguém
Apenas digo: não sabem apreciar  que têm.
Entendo o que queres dizer,
mas com tanta fertilidade que ela tem a trazer,
por quê não deixar a chuva bater?
É um bem imensurável que ela atrai a ti,
pare de reclamar e deixe-a cair.

Ane Souza

Brisa suave

Na brisa suave
das ondas do mar
veleja um barquinho
pensando em atracar.

Mas um vento impetuoso
começa a soprar
e lança o barquinho
para o lado de lá.

No coração do marinheiro
há uma chama
que queima e purifica
e pelo seu bem, clama.

Existe ainda
um fogo que devora
avisando o marinheiro
quando será a hora.

Ane Souza

Saga de uma escritora

1º Escute este refrão.
Escreva o que lhe dita o coração.
O coração é sempre bom conselheiro.
Amigo verdadeiro.

Nunca escreva por escrever,
sem ter o que dizer,
pois isso vai ser notado,
e desprezado.

2º Escreva o que deve.
Analise sempre o impacto social do que escreve.
Escreva o que os outros querem ler.
Esse é o seu dever,
pois afinal é servidor
da humanidade na lei do amor.

3º Estude cuidadosamente o perfil de cada editor.
Não acredite que a crise lhe dirá um não arrebatador.
Se oferece exatamente o trabalho que ele quer publicar,
o sucesso irá despontar.

4º E não se esqueça nunca do seu Anjo protetor.
Continue depois de cada porta que se fecha no seu nariz,
pois Ele sempre abrirá com amor,
uma ampla janela com tudo o que sempre quis.

Lucília Guimarães
(clique para ler o poema completo)

A Poesia me Leva

Sopra o vento músicas no tempo
Acordes que acordam
Corda que dá tom ao sentimento
Ao sofrimento que virá, que virá
E que virá poema ao fim do dia
Sons que se transmudam em palavras
E que os poetas buscam
Busca que desata a melodia
Da poesia que virá, que virá
E que vira profecia ao fim do dia
Minas de palavras
Descanso a voz neste Horizonte
Que tã belo assim me cala
Calada voz por fim aguardo
Pelos ventos que me trazem
Areias brancas da cidade onde eu nasci.

Padre Fábio de Melo